Você está aqui

Prefeitura admite erro em cálculo da taxa do lixo, que pode ser revista

Nova forma de cálculo apresentou "erros importantes", diz secretário

A prefeitura de Campo Grande admitiu, nesta quarta-feira (10), erros nos cálculos que nortearam a cobrança da taxa do lixo no IPTU 2018. O prefeito Marquinhos Trad (PSD) afirmou ao Jornal Midiamax que “pode haver injustiça na taxa do lixo”, e que a situação será analisada.

Em discurso semelhante ao do prefeito, que está de férias, o titular da Seplanfic (Secretaria de Planejamento, Finanças e Controle), Pedro Pedrossian Neto conversou com jornalistas antes da reunião realizada nesta tarde com vereadores, na Câmara Municipal.

Segundo o secretário, ocorreram “lançamentos de forma equivocada e distinta das simulações com as quais não podemos compactuar. Foi uma falha de natureza técnica, erros importantes com os quais não podemos compactuar”.

Ainda segundo Pedro Pedrossian, diante dos erros constatados, a prefeitura estuda como procederá a partir de agora. A reunião na tarde desta quarta com vereadores deve definir algumas das ações. “O que definirmos será o melhor para a população”.

A taxa

Inicialmente, quando enviou projeto à Câmara para alterar o cálculo da taxa do lixo, a prefeitura estimava que a nova forma de definir o valor traria uma diminuição na taxa para 60% dos campo-grandenses.

“Justiça social” foi o termo usado por Marquinhos Trad para defender que uma forma de cálculo deveria ser feita para que pessoas que vivem em regiões mais carentes pagassem taxa do lixo mais barata, no entanto, após as emissões dos carnês do IPTU, onda da reclamações de contribuintes levou a prefeitura a reanalisar a situação. 

Anteontem, inclusive, o município atendeu a pedido da OAB-MS (Ordem dos Advogados do Brasil) e abriu possibilidade de separação da cobrança do IPTU da taxa do lixo. Com isso, centenas de campo-grandenses foram à Central do IPTU para solicitar os boletos distintos. Prorrogação de prazo para pagamento à vista do IPTU com 20% de desconto também foi pedido pela OAB.

Tópicos