Você está aqui

Marun diz que governo deve aceitar desgaste sobre indicação de Cristiane Brasil

Posse da deputada carioca foi impedida pela Justiça

Com a intenção do PTB em manter a indicação da deputada federal carioca Cristiane Brasil ao comando do Ministério do Trabalho, o ministro da articulação política de Michel Temer, ministro Carlos Marun (PMDB), afirma que o governo precisa ‘aceitar o desgaste’ e enfrentar a situação em que a Justiça impede a posse no cargo.

O presidente nacional do PTB, Roberto Jefferson, afirma que vai manter a indicação da filha em conversa com o presidente da República nesta quinta-feira (11), segundo o jornal Folha de S.Paulo. Na noite da quarta-feira (10), o presidente se reuniu com auxiliares e assessores, no Palácio do Jaburu, para analisar o quadro jurídico.

Cristiane Brasil foi condenada em ação movida por um motorista que prestou serviços para ela. De acordo com a sentença de 2016, a parlamentar devia ao ex-funcionário R$ 60 mil. Fernando Fernandes Dias trabalhou sem carteira assinada no período de 29 de novembro de 2011 a 10 de janeiro de 2015.

Na noite de quarta, o TRF (Tribunal Regional Federal) da 2ª Região manteve a decisão da primeira instância que suspendeu a posse da parlamentar, desgastando ainda mais a imagem do governo.  O Palácio do Planalto ainda avalia as possibilidades jurídicas para evitar uma nova derrota, desta vez no STF (Supremo Tribunal Federal) ou no STJ (Superior Tribunal de Justiça).

Com Roberto Jefferson irredutível, o ministro Carlos Marun diz que que "existem coisas" em que o governo precisa "aceitar o desgaste".

"Tem vezes que a gente precisa ter atitude. Isso é uma atitude, enfrentar. Imagina a gente concordar com isso? Não vamos chamar ninguém para discutir. O governo não pode aceitar situação em que um juiz de primeira instância revoga uma decisão do presidente da República", disse Marun ao portal G1.

Impedida pela Justiça, a posse de Cristiane Brasil segue indefinida.

Tópicos