Você está aqui

Acusada de matar casal, dupla de assassinos é transferida de presídio

Crime aconteceu em Corumbá em novembro

Rita de Cássia Ledesma, de 23 anos e o namorado Diego Antônio da Silva, de 25 anos, acusados da morte de Marilene Ledesma Ferreira, mãe de Rita, e de seu marido Paulo Mariano Pinto presos no ano passado em Chapadão do Sul foram transferidos de presídio.

Nesta semana o casal acusado do homicídio foi transferido de Chapadão do Sul, onde foram encontrados e presos, no dia 18 de dezembro de 2017, foi transferido para um presidio na cidade de Corumbá, a 444 quilômetros de Campo Grande.

A filha de Rita de Cássia, de 3 anos, que estava com o casal foi levada para o Conselho Tutelar. No dia da prisão do casal, foi encontrado com eles as carteiras de identidade das vítimas. Os celulares de Paulo e Marilene teriam sido usados para pagar a hospedagem no hotel, segundo o site Diário Corumbaense.

Entenda o caso

O casal, Marilene e Paulo, foi morto a facadas, sendo três golpes desferidos em Marilene, e um golpe em Paulo. Os corpos das vítimas foram localizados no dia 23 de novembro enterrados no quintal da residência.

Além das facadas desferidas, o casal também foi golpeado com pedras. Parentes de Marilene afirmaram que ela não aprovava o relacionamento da filha, e que ele (Diego) teria sido proibido de frequentar a residência da vítima.

O casal estava desaparecido há 15 dias. Quem encontrou os corpos foi um cunhado de Paulo, que viu sinal de concreto recente no local. Dentro do buraco, estavam os corpos de Marilene e Paulo enrolados em um colchão.

Antes de fugir para a Capital, Rita teria penhorado eletrodomésticos da residência do casal. O dinheiro da penhora, R$ 1,2 mil, pode ter sido usado na fuga de Rita e o namorado.

 

(Foto: Diário Corumbaense)

 

Tópicos