Você está aqui

'O mundo estará observando o que fizerem', adverte EUA ao Irã

Estados Unidos convocaram a reunião

Foto: AFP / JIM WATSON

Os Estados Unidos advertiram nesta sexta-feira (5) o Irã que o mundo estará observando como responde aos protestos contra o governo dos últimos dias, durante uma reunião sobre o tema no Conselho de Segurança da ONU.

"O regime iraniano está agora de sobreaviso: o mundo estará observando o que fizerem", disse a embaixadora americana, Nikki Haley, durante a sessão de emergência do Conselho, solicitada por Washington.

Os Estados Unidos convocaram a reunião apesar da crítica ferrenha da Rússia, que acusou Washington de interferir em assuntos internos do Irã.

"Os iranianos estão mobilizados em mais de 79 localidade em todo o país", disse Haley ao Conselho.

"É uma exibição poderosa do valor das pessoas, fartas com o governo opressivo, que estão dispostas a arriscar sua vida nos protestos", acrescentou.

Haley acusou o governo de fazer uma campanha a favor do regime militar na Síria, de apoiar os combatentes xiitas no Iraque e de apoiar uma elite de cúmplices enquanto os cidadãos comuns do Irã enfrentam dificuldades.

Um total de 21 pessoas morreram e centenas foram presas desde o dia 28 de dezembro, durante as manifestações contra o governo iraniano pelas dificuldades econômicas, nas quais foram registrados ataques a prédios do governo e delegacias policiais.

Também ocorreram protestos a favor do governo em Teerã depois de sexta-feira, o primeiro dia de marchas em apoio ao governo, que se declarou inquieto pela situação.

Alguns diplomatas esperavam que a Rússia convocasse uma votação processual para bloquear a reunião, mas, ao fim, o enviado de Moscou não fez a solicitação.

Nos últimos dias, os Estados Unidos têm se esforçado para obter o apoio do Conselho de Segurança, especialmente dos seis novos membros não permanentes, disseram diplomatas.

Tópicos