Você está aqui

Morrem quatro policiais na explosão de bomba na Caxemira indiana

Região é disputada entre Índia e Paquistão
Foto: AFP/Arquivos / Tauseef MUSTAFA

Quatro policiais morreram neste sábado (6) na Caxemira indiana na explosão de uma bomba colocada por supostos islamitas, informou a Polícia, apenas seis dias depois de um ataque rebelde na região, que matou quatro soldados.

Os policiais estavam fazendo um patrulhamento quando o artefato explosivo improvisado (IED, em inglês) foi detonado, a 50 quilômetros da cidade de Srinagar, capital do estado indiano de Yamu e Caxemira, no norte do país.

"Explosão de IED em Sopore. Quatro policiais mártires", indicou no Twitter a Polícia de Yamu e Caxemira.

A bomba foi colocada por islamitas perto de um estabelecimento comercial durante uma greve organizada por separatistas, afirmaram The Press Trus of India e outros meios de comunicação indianos.

Este último incidente acontece em plena escalada de violência nesta região cuja soberania é disputada entre Índia e Paquistão.

Em 31 de dezembro, militantes armados mataram quatro militares indianos durante uma invasão a um campo paramilitar fora de Srinagar.

Em 2017, ao menos 206 supostos ativistas, 78 membros das forças de segurança indianas e 57 civis morreram na Caxemira, no que foi o ano mais mortal em uma década na região.

A Caxemira foi dividida entre Índia e Paquistão ao fim da colonização britânica. Os dois países reivindicam a totalidade do território, o que provocou duas das três guerras que enfrentaram desde a independência, em 1947.

Grupos rebeldes como o JeM reclamam seja a independência, seja a anexação ao Paquistão, e estão em luta permanente desde 1989 contra meio milhão de soldados indianos mobilizados no território.

Esta guerra deixou em quase 30 anos dezenas de milhares de mortos, principalmente civis.

Tópicos