Página cria roteiro de lazer para crianças e faz até 'encontrão ao ar livre' na cidade

Atividades ao ar livre são prioridade nos roteiros

  • Piquenique no Parque dos Poderes foi apenas uma das ações promovidas pela fanpage (Divulgação)
  • Piquenique no Parque dos Poderes foi apenas uma das ações promovidas pela fanpage (Divulgação)
  • Piquenique no Parque dos Poderes foi apenas uma das ações promovidas pela fanpage (Divulgação)

Todo fim de semana é assim: sabadão começa e a criançada acorda com força total. Hora de gastar esse energia toda em algum lugar, o problema é que a correria do dia a dia também atinge os pais nos fins de semana e as soluções de lazer encontradas para os pequenos se resumem frequentemente a pernadas nos shopping centers. Só que em tempos de crise econômica, dinheiro curto e consumismo em excesso, não tem bolso que aguente essa rotina. É preciso variar.

Não é à toa, portanto, que mães, pais e responsáveis estejam procurando opções de lazer mais democráticas, saudáveis e, de quebra, mais engajadas às crianças. E essa busca pelo ‘entretenimento perdido’ muitas vezes nos leva a lugares tão óbvios que nem passam por nossas cabeças, como parques, museus, praças e pontos turísticos da cidade.

É o que se vê em iniciativas como o projeto ‘Onde ir com os filhos em Campo Grande’, uma fanpage criada em agostod e 2015 com o objetivo de fugir do lugar-comum na hora de decidir onde se divertir com a criançada. Criada pela consultora empresarial Jani Vieira, 37, a página também conta com o suporte da jornalista Jacqueline Alves Cordeiro, 31 anos. As duas formam uma espécie de ‘dupla dinâmica’, que já conquistou quase seis mil seguidores. Não por acaso: a dupla tem feito o que pode para tornar a página atrativa, sempre disponibilizando sugestões de lazer e até organizando atividades ao ar livre.

Cerca de 400 pessoas compareceram ao piquenique (Divulgação)

Como o piquenique realizado no último domingo (28). Marcado pelo Facebook, o evento reuniu cerca de 90 famílias, 400 pessoas e cerca de 130 crianças no Parque das Nações Indígenas. O encontro foi convocado pelo Facebook e foi sucesso absoluto. “A gente foi antes, deu uma limpada, conferiu se a estrutura estava ok, se os banheiros estavam ok, e fizemos o chamado. A gente não tinha expectativa de tanta gente, por isso que nos surpreendemos com o resultado”, explica Jani, que é mãe de Nicole, de 5 anos.

Para ela, a repercussão positiva tanto do evento como da fanpage tem a ver com uma necessidade dos pais de exporem os filhos à atividades ao ar livre. “Esse contato com a natureza, com outras crianças, de várias classes sociais. É um momento lúdico e de aprendizagem, de reconhecimento e respeito pelas diferenças. Nada contra o shopping, de vez em quando a gente continua indo para lá, mas existe uma cidade a ser explorada”, comenta.

Foi com essa ideia, a propósito, que o projeto saiu do papel. Sul-mato-grossense de Glória de Dourados, Jani e a família passaram por Curitiba antes de fizarem morada em Campo Grande. “Meu marido é carioca e adora praia, mas como aqui não tem a gente acaba indo pra shopping. Então eu tive a ideia de buscar outros lugares, que eu visitava na minha infância. E tanto ele como nossa filha adoraram visitar lugares como parques, o Mercadão e praças de Campo Grande. Aqui tem muito lugar bacana para ser explorado”, explica Jani.

Avaliações

A opinião de quem segue as publicações da página ‘Onde ir com os filhos em Campo Grande’ é positiva, mas nota-se que muitos pais e responsáveis não conhecem vários dos posntos turísticos sugeridos pelas administradoras. Por isso, além de divulgar locais onde há estrutura de lazer para crianças, como restaurantes com ‘espaço kids’, Jani e Jacque também buscam avaliar pontos turísticos da cidade.

Após visitas no local, elas publicam um post com os pontos positivos e negativos do espaço. E dependendo da nota, o setor de manutenção do local pode receber uma mensagem da dupla. “O Horto Florestal, por exemplo, é um lugar maravilhoso, mas não podemos levar as crianças porque os banheiros são inutilizáveis. Mas o Parque Itanhangá já é um que teve nota 10, um lugar excelente para reunir crianças em brincadeiras, jogos, etc”, conta Jacqueline.

As avaliações são feitas levando em conta segurança, acesso, conservação de banheiros, policiamento e proteção contra veículos. Nesses critérios, também chegaram à indicação positiva do Parque dos Poderes, que tem vias interditadas em prol de atividades esportivas aos fins de semana. Museus também ganham destaque e provam que o lazer infantil também pode ter caráter educativo.

 

 

“Muda tudo”

Para as criadoras da fanpage, a troca de experiências proporcionada pela página gerou a mudança de um paradigma. “Essa parceria despertou esse lado em mim, de levar a Luiza em lugares abertos, fora do comum. A gente não deixou de ir em shopping, mas agora temos essa ideia de diversificar mais as atividades, proporcionar experiências novas às crianças, Minha percepção de lazer mudou”, comenta Jacqueline.

Jani concorda, e acrescenta que a ocupação de espaços públicos é importante não só para as crianças, mas para a cidade. “Quando a gente frequenta os espaços ao ar livre, os pontos turísticos, enfim, a gente fica mais vigilante e passa a cobrar a infraestrutura. Existem lugares belíssimos da cidade que são malcuidados. Saindo de casa a gente constata isso e cobra das autoridades”, conclui.

Serviço - Para seguir a fanpage 'Onde ir com filhos em Campo Grande', clique AQUI.

Tópicos