Você está aqui

Márcio de Camillo aparece despido e coberto de terra em clipe de canção de manifesto

Cantor traz composição de Rodrigo Sater e Geraldo Roca

O cantor e músico Márcio de Camillo lançou neste mês o clipe "O Afeto que se Encerra", uma música com ares de manifesto, de composição de Geraldo Roca, falecido em 2015, e Rodrigo Sater, irmão de Almir Sater. "Na década de 60, no período da ditadura, artistas sacavam suas armas feitas de caneta, papel, guitarras, violões e tentavam espalhar suas palavras de liberdade. Hoje, artistas voltam a expressar suas indignações por meio da arte. Em tempos de lama, a arte transforma o lodo em lótus", diz o artista.

Valendo-se de uma estética bastante minimalista, Márcio, conhecido do público por seu projeto infanto-juvenil, musical e teatral "Crianceiras", aparece no clipe despido e com terra sobre o rosto, além de mostrar trechos do seu show. 

A letra de "O Afeto que se Encerra" possui símbolos e jogos de palavras para mostrar indignação com um momento delicado da cultura e da política do Brasil, embora sua letra já estivesse pronta há algum tempo. “Sentia uma vontade grande, de nesse momento pelo qual o Brasil passa, verbalizar, ou melhor, cantar minha mensagem de desafeto para isso tudo que estamos testemunhando. Vejo nitidamente a necessidade de as pessoas dizerem o que pensam. Como artista, sinto-me um porta-voz do povo, desse lugar, desse momento”, analisa Márcio.

“Percebi o potencial da música e principalmente sua mensagem, quando Rodrigo me mostrou a canção pronta. A vontade de imprimir a minha interpretação foi imediata, e, então, convidei outro amigo, o fotógrafo Mario Castello, para juntos dirigirmos um clipe”, afirma o músico. A melodia foi feita à duas mãos por Roca e Sater. 

 

Tópicos