Você está aqui

Fiéis celebram missa de 7º dia para crianças vítimas de incêndio em MG

Nove crianças morreram vítimas de queimaduras e fumaça

Cerca de 200 pessoas compareceram à missa de sétimo dia na manhã desta quarta-feira (11) em frente ao Hospital Regional da cidade de Janaúba, no norte de Minas Gerais, onde foram internadas as crianças vítimas do incêndio na creche Gente Inocente.

O incêndio, provocado pelo vigia Damião Soartes dos Santos, deixou até o momento 11 mortos, sendo nove crianças, além da professora Heley de Abreu, que lutou contra o incendiário e tentou salvar parte das crianças do incêndio antes de morrer, e o próprio segurança.

A missa foi celebrada pelo padre Carlos Alves dos Anjos e durou cerca de uma hora e meia. Houve muita comoção entre os moradores, médicos, enfermeiros e parentes das vítimas presentes.

Em dado momento, funcionárias do Hospital, bastante emocionadas, levaram balões brancos até o púlpito onde estava o padre Carlos. O religioso soltou os balões no ar um por um, dizendo o nome das crianças e da professora, sob aplausos da multidão.

“Quando meu filho estava internado em Montes Claros eu queria acariciar o seu rosto, seu corpo, mas ele estava num estado que isso não era possível”, lamentou Valdirene Santos, mãe do menino Matheus Felipe dos Santos, que morreu na última segunda-feira (9), internado em um hospital em Belo Horizonte.

Um dos presentes na missa foi Elton Batista de Oliveira, embalador de um supermercado que ajudou no resgate das crianças. Ele conta ter retirado cerca de quatro ou cinco dos alunos da creche, depois de ter ouvido gritos de socorro do local.

“Teve uns que a gente jogava pela janela, pelo muro. Os bichinhos pulavam no meu pescoço querendo sair de lá”, conta, emocionado. Ele chorou ao ouvir os nomes das crianças falecidas durante a missa. Agora, está internado por causa da inalação de fumaça, sem previsão de alta.

Tópicos