Você está aqui

Adolescente vítima de estupro teria sofrido abuso por outro grupo antes do vídeo

Polícia está investigando o caso

A adolescente vítima de um estupro coletivo na zona oeste do Rio sofreu abusos por dois grupos diferentes durante o fim de semana em que passou no morro da Barão. A informação é da titular da DCAV (Delegacia da Criança e Adolescente Vítima), Cristiana Bento.

Segundo a delegada, a menina saiu do baile funk e foi para uma casa acompanhada de Raí de Souza, Lucas Perdomo e uma menina. No local, houve sexo consensual entre a vítima e Raí e Lucas e a menina. Por volta das 10h de 21 de maio, os três saíram da casa e deixaram a adolescente desacordada na casa. Horas mais tarde, um grupo de traficantes passou no local e levou a vítima para o "abatedouro", já localizado pela polícia. O traficante identificado como Moisés Lucena, que teve a prisão pedida, foi responsável por levar a adolescente para o local. Lá, ela foi estuprada, com conjunção carnal, por ao menos seis outros traficantes.

Na manhã de domingo, Raí, Raphael Belo e Jefinho encontram a vítima ainda no abatedouro e praticam nova violência sexual contra a adolescente. Cristiana Bento ressalta que tanto o ato praticado pelo grupo de Moisés como o ato registrado no vídeo feito por Jefinho são estupros. A delegada esclarece que estupro é qualquer ato libidinoso sem o consentimento da vítima. O segundo grupo tocou as partes íntimas da adolescente enquanto ela estava desacordada.

Bento informou também que o celular de Raí de Souza foi apreendido nesta sexta (3) e será enviado para a perícia. No aparelho foram feitas as imagens divulgadas nas redes sociais por Marcelo Corrêa e Michel Brazil no dia 25 de maio.

Tópicos