A Palavra Crise Significa Perigo ou Oportunidade

A Presidente Dilma vive seu pior momento e a historia haverá de registrar esses dias tão importantes que vivemos. Crises em por todos os lados. Crise moral, crise institucional, crise financeira, crise com os aliados, crise de credibilidade governamental, crises e mais crises. Esse tempo que vivemos vai sem duvida promover o amadurecimento politico do nosso povo se bem que uma parcela dos brasileiros não sabemlidar com a dinâmica da conjuntura, partem para o ódio, para o seletismo parece até que estamos diante de pessoas com transtornos psicótico de tantas barbaridade que se vê nas redes sociais, nas reportagens jornalísticas. Tudo fruto da massa populacional que não estuda, não lê e por isso não obteve o senso crítico, a análise politica do momento que estamos passando. Diria que nesses momentos de instabilidades econômicas, de choques com a cultura perversa de como as velhas e novas raposas da politica lidam com o bem publico, das manifestações dos contras e dos que estão a favor – esses são momentos de crescimento e amadurecimento politico para o nosso povo.

Nosso Brasil tem 516 anos de civilidade e haveremos de caminhar muito para conquistarmos o ápice da maturidade social, politica e humana. Mas o que nos chama atenção no momento foram os dados divulgados na última 4ª feira de uma pesquisa sobre o desemprego no Brasil, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), nos dão conta da gravidade de como se está a atual situação do País. Segundo o Instituto, a taxa de desemprego cresceu de 7,6% em janeiro para 8,2% em fevereiro/2016, o que representa um total de mais de dois milhões de pessoas em busca de trabalho.Um quadro realmente assustador, que afeta a todos, demitidos, jovens em busca do primeiro emprego e até mesmo aqueles que, empregados, convivem diariamente com a insegurança e o medo de fazer parte desta triste estatística. Já aqueles que perderam seus empregos, ao confrontar-se com um mercado desanimador, partem para a informalidade, conformando-se em ganhar menos e não ter acesso aos benefícios que a lei faculta a quem tem carteira assinada.

O desemprego crescente é uma das principais travas à retomada do crescimento econômico, ao lado dos juros altos, da inflação, do crédito caro, da falta dos investimentos que o nosso País tanto necessita e da sonolência do governo ante as prioridades da classe trabalhadora e de todo o povo brasileiro.Manter os empregos existentes e criar novos postos de trabalho deveriam ser prioridades absolutas de qualquer governo. O que deparamos é um governo cujo partido que nasceu nas bases do movimento sindical, acumulou conhecimentos sobre a importância do trabalho com ferramenta da dignidade humana está desorientado, inerte diante da crise e aprofunda a cada passo que dá sem respeitar naturalmente a realidade e o rumo que o país se encontra.

Já tivemos momentos críticos, crises graves em governos anteriores e medidas foram tomadas de forma paliativas e no momento a gestora do governo federal aprofunda ainda mais a situação sem condições de apresentar uma perspectiva viável para sair desse buraco escuro. John Kenned certa feita lembrou-nos: “... Quando escrito em chinês a palavra crise compõe-se de dois caracteres: um representa perigo e o outro representa oportunidade.Já o escritor, poeta e político italiano Dante Alighieri escreveu: “...No inferno os lugares mais quentes são reservados àqueles que escolheram a neutralidade em tempo de crise.”

 

Prof. Jânio Batista de Macedo – Coordenador Estadual do SINDNAPI/MS – (www.sindnapi.org.br)

E-mail: janiomacedo@bol.com.br

App MidiaMax disponível para Download

Fique conectado a partir do seu celular!

Clique e faça download agora mesmo